Um caderno para chamar de meu

21 de setembro de 2014


A coisa que mais me chateou em agosto não foi ter conseguido cumprir a meta de fazer o desafioDIY na data estipulada. Correria, cansaço, um mês cheio de problemas e dificuldades. Setembro não está sendo muito diferente, mas pelo menos eu consegui correr atrás do prejuízo e finalizar o desafio de Agosto e setembro. Acredito que não fiz o de agosto na data não somente pelos problemas, mas porque apesar de muito me interessar encadernação e papelaria, eu nunca tinha feito e não sabia por onde começar. Mas vendo alguns projetos e vídeos na internet, decidi que seria melhor começar pelo básico.

Fiz um caderninho simples, de cerca de 20 páginas. A capa é papel Aquarela (300) e as folhas de dentro sulfite (120). Tinha decidido que faria uma pintura na capa e a costura seria a mais simplificada como um experimento mesmo, uma forma de aprendizado. Acabou que deu quase certo. Infelizmente a costura de cima ficou um pouco frouxa e a parte de baixo ficou saindo um pouquinho para fora (vide foto). De toda forma confesso que foi uma experiência legal e já quero tentar novamente!

desenhando com o lápis 2B

colorindo com aquarela

Eu sei que o contorno preto quebra o desenho, mas eu gosto tanto. Ainda estou no nível mais básico de aquarela, mas amando cada aula e cada exercício. Definitivamente é minha técnica de pintura favorita!

finalizado com lápis aquarelável e caneta estilo nanquin

Após feito a capa, reuni as folhas, fiz os furos (4)  e costurei pro dentro. Nesse blog tem o processo explicado de forma mais didática e eu fiz como ela!


No fim ficou um caderninho ótimo para anotações ou mesmo desenhos livres. 

Quem quiser conferir mais projetos pode visitar o grupo e ver o álbum com tudo que foi postado :D

Fazendo meu próprio cereal matinal

18 de setembro de 2014


Já faz algum tempo que sentia a necessidade de produzir um cereal um pouco diversificado das opções que encontramos nas prateleiras de supermercado. Primeiro porque a maioria tem mais açúcar que tudo (e começar o dia se entupindo de açúcar é péssimo), segundo porque cereal é uma coisa muito prática para se ter em casa nos dias de correria e eu queria dar uma turbinada de nutrientes com o objetivo de me sentir melhor ao longo do dia. Por isso dei uma pesquisada e acabei colocando em prática algumas ideias para fazer meu próprio cereal. Na verdade não é fazendo tudo (usei flocos de milho já prontos), mas ao menos a composição dele.

Confesso que o investimento inicial foi alto. Ao todo gastei quase R$40,00 para produzir 1 pote e meio (desse da foto). Porém como o cereal ficou bastante nutritivo, uma pequena porção por dia me fez me sentir muito melhor. Utilizei basicamente oleaginosas (nozes, castanha do pará, castanha de caju e amêndoas), frutas secas (damasco e uva passa) e flocos de milho. Os flocos de milho queria ter comprado em uma loja de produtos naturais para garantir menor interferência industrial no processo, porém dessa vez não foi possível então comprei em supermercado mesmo, uma opção sem açúcar e com o menor número de aditivos possíveis. 



Ao chegar em casa piquei as frutas e misturei aos flocos de milho em uma tigela grande. Em seguida armazenei em um pote de vidro (conserva melhor!) para ir consumindo ao longo dos dias. O resultado tem sido evidente, me sinto muito melhor e mais disposta. As frutas secas fazem muito bem pois são ricas em fibras e as oleaginosas não ficam atrás, são ricas em nutrientes dos mais diversos que dão energia e previnem doenças (quando consumidos com moderação!). Uma vez vi um documentário que mostrava o tratamento de um paciente com depressão apenas consumindo uma determinada quantidade de oleaginosas por dia. O paciente apresentou grande melhora da disposição e energia para lidar com os problemas que o levaram a tal situação. Claro que qualquer tipo de tratamento como esse deve ser feito sob a supervisão de um nutricionista, mas acho um bom hábito a se adotar, desde que feito da forma correta (sempre em pequenas quantidades). 

Estou adorando a experiência e com muitas ideias novas para compor novas combinações de cereais. Pois além de ser muito nutritivo e prático, é delicioso e dá para consumir com leite, iogurte ou mesmo puro. Fica a dica para quem deseja uma opção mais saudável para começar o dia sem perder a praticidade que tanto precisamos na correria do cotidiano :)

31ª BIENAL de arte contemporânea

14 de setembro de 2014

eu  perdida entre o golfo dos anarquistas e o monte do marxismo (talvez lá embaixo, passando longe do Mao e do Stalin, claro! risos)

Como começar a escrever esse post? A última bienal que visitei não foi uma boa experiência. Não sei se eu era outra ou se houve uma mudança substancial nessa nova edição que me fez ver tudo com outros olhos. Na verdade, acho que é um pouco dos dois. Essa edição da BIENAL de Arte Contemporânea de São Paulo me surpreendeu em cada detalhe, em cada obra. Não somente pelo tema político, mas sobretudo pela composição, que dessa vez não era somente clara, como trouxe o enfoque da arte para os movimentos sociais e produções culturais de setores que outrora seriam ignorados.

Cabe críticas, claro, sempre existe divergências. Mas realmente é uma exposição imperdível. bastante elementos da arte urbana de rua (pixação e grafite), trabalhos de artistas sul americanos sobre as ditaduras na America latina, repressão de movimentos sociais, entre várias outras temáticas.

Mural sobre a ditadura  na Argentina

Obra de uma artista Chilena sobre os documentos da operação CONDOR que financiou as ditaduras sul americanas



Essas duas fotos acima retratam uma sala bastante intrigante na qual você entrava descalço e contemplava várias pixações com elementos culturais (de símbolos nazistas a stencil de Jesus Cristo) ao som de um funk e vários efeitos de luzes neon.



Essa sala acima me lembrou a coleção Circus da Melissa. E também me remete muito as festas super pós modernas que ocorrem nas universidades públicas (sobretudo as de humanas!) auiheuiheuie.




Havia vários outros espaços com discussão sobre perseguição a grupos políticos, simulando torturas, trazendo elementos da fé e da simbologia de várias religiões. Também havia vídeos das manifestação de junho, retratos da desigualdade social e racial no Brasil e na América, entre muitos outros debates.  No dia que eu fui estava se apresentando um núcleo de cultura de um movimento social (que não me recordo qual era) e pelo que andei lendo no site tem sido assim vários dias devido a parcerias com esses artistas.

Ao ler o conceito da curadoria e montagem da exposição fica claro que o debate é sobre transformação. Vivemos em um momento de crise e por consequência de superação e criação, não somente expressa na arte, como na vida, na política, e em todas as expressões culturais. Achei fantástico ter esse debate posto de forma tão instigante e ao mesmo tempo é empolgante porque é mais um sinal que as coisas estão mesmo em eferverscência e cada vez tem sido mais difícil negar a política.

Infelizmente fui a noite em um dia de semana e não pude desfrutar como gostaria. Porém pretendo voltar em breve com calma para apreciar melhor os espaços. A exposição vai até o dia 07 de dezembro então dá para todos visitarem com tranquilidade! Para quem é de São Paulo ou viaja para cá nessa época, fica o convite. É imperdível e vale todo o tempo dedicado por lá :D


Oi, sou Jess! Vivo em São Paulo, Brasil onde trabalho como designer. Adoro tudo que envolve criação. Criei o blog em uma tentativa de extrair do caos da grande metrópole o criativo. Hoje o blog tem um pouco mais que isso, como registros dos meus dias, sensações, reflexões e coisas que me inspiram! Sinta-se a vontade para ler, comentar, compartilhar e interagir :)



Pin It button on image hover